Quarta-feira, 03 de Abril de 2019

Autopatos Caminhões

Tel: (34) 3818-1500

« Voltar

Já Curtiram

Compartilhar

Caminhões MAN TGX

A MAN Latin America, controlada pela Volkswagen, coloca nas concessionárias, a partir de maio, o novo caminhão TGX produzido na fábrica de Resende (RJ). Até agora, a marca é líder de vendas no Brasil em todos os segmentos de caminhões, mas não era praticamente representada entre os extrapesados (com mais de 400 cavalos). Com a chegada do TGX, a marca almeja 30% deste mercado num prazo de três anos, diz Roberto Cortes, presidente da MAN Latin America. O objetivo, completa, é vender 5 mil unidades por ano.

Em 2009, quando teve início a união das duas marcas, a Volkswagen identificou a importância dos extrapesados, que respondem por 16% do mercado de caminhões. Fora do segmento no Brasil, a MAN Latin America decidiu trazer 40 unidades do TGX para teste com frotistas, que rodaram 5 milhões de quilômetros, conta Ricardo Alouche, diretor de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da empresa.

Segundo ele, os clientes pediram que o TGX produzido no Brasil fosse econômico, durável e de fácil operação. Começou então um trabalho de adaptação do modelo às condições das estradas brasileiras. Para produção no Brasil, o caminhão original passou por 240 modificações. O índice de nacionalização hoje é de 40% e a meta é chegar a 60% em um ano.

Nas lojas

O TGX tem motor MAN D26 de 12.4 litros e potência de 440 cavalos. O câmbio é automático de 16 marchas, mas pode ser manual, caso o cliente queira. O freio a tambor conta, de série, com ABS e EBS. A cabine, segundo informações da MAN Latin America, é a maior da categoria, assim como a cama. Entre os itens de conforto, ar-condicionado digital e 33 porta-objetos.

A versão do TGX que estará nas concessionárias em maio é a 29.440 6x4, destinada ao transporte rodoviário de médias e longas distâncias. Outras duas opções estarão disponíveis na sequência. O 33.440 6x4, com redução nos cubos, vai chegar em julho. Depois, em outubro, será a vez do 28.440 6x2.

A MAN Latin America reuniu jornalistas de 13 países no Guarujá, litoral de São Paulo, para a apresentação do TGX, projeto que consumiu R$ 100 milhões em desenvolvimento, nova linha de produção e lançamento. O caminhão produzido no Brasil será vendido em toda a América Latina e no México, diz Marcos Forgioni, diretor de Exportação. Além do Brasil, os primeiros países a receber o modelo serão Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Panamá, Peru, República Dominicana e Uruguai.

A chegada do novo caminhão deve ajudar na recuperação das vendas, que caíram 10% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2011. Segundo Roberto Cortes, a indústria de caminhões e ônibus produziu menos nesse início de ano devido às mudanças na lei de emissões. Mas ele está confiante na recuperação das vendas e diz que, para isso, é preciso promover os benefícios do Euro 5, regularizar o abastecimento de diesel S50 e de Arla 32 e facilitar o financiamento.

Poluição

A nova fase do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve P7) entrou em vigor em janeiro deste ano. A legislação é similar à europeia Euro 5 e exige, além de modificações nos motores, novos sistemas de pós-tratamento dos gases de escapamento e uso de diesel com reduzido teor de enxofre.

A eliminação do óxido de nitrogênio, gerado no escapamento, é possível por meio de duas tecnologias: recirculação do gás, que retorna à admissão, reduzindo a temperatura da combustão; e pela redução catalítica seletiva, que exige o uso do Arla 32, um reagente líquido que deve ser pulverizado no gás de escapamento.

Quanto ao diesel, os veículos P7 agora devem ser abastecidos com o S50 de 50 ppm (partes por milhão) de enxofre. A partir de 2013, ele será substituído pelo S10. Atualmente, o diesel vendido nos grandes centros urbanos é o S500.

Fonte: http://www.parana-online.com.br/canal/automoveis/news/607286/?noticia=CAMINHAO+TGX+SO+PARA+GENTE+GRANDE





Veja Também

Comente